quinta-feira, novembro 29, 2007

Ontem...


E estavas tão, mas tão bonita...
João 2007
Fotografia Barcoantigo 2007

sexta-feira, novembro 23, 2007

Interminavelmente...


Fico aqui interminavelmente a imaginar-te a vinda à tua espera tardiamente a ida não chegamos e não partimos estamos desencontrados nas horas dos dias frios espero-te ainda que voltes hoje mais logo pelo entardecer e a tua silhueta recortada na praia em contra luz apetece-me e os teus cabelos soltos e negros ao longe confundem-se no negro da noite que chega a horas certas porque só essas são horas certas e as nossas não eu sei tu sabes e o tempo também e quando voltares estarei envergando a vela alva da nossa catraia para partir outra vez em busca do pão que o mar há-de dar na forma de sardinha prateada e viva mas agora fico aqui a imaginar o teu rosto e o brilho do teu olhar já te disse hoje que o vejo todo no mar o teu rosto e olhar...
joão 2007
Fotografia de Barcoantigo 2003

quarta-feira, novembro 21, 2007

Caminho...


Dou por mim a pensar que vai ser muito difícil de nos encontrarmos. Falta-nos a vontade e o tempo nunca é demais.
Caminho.
As mãos abandonadas nos bolsos do casaco seguem protegidas do frio.
Chove.
Tinha saudades da chuva miudinha a escorrer-me na cara. Desço a rua Augusta, passo o arco e dou com a árvore grande. Metálica, que nos impingiram a fingir que é Natal, e me tira a visão para o Tejo que queria ver hoje.
Observo.
Levanto o olhar até ao cimo onde cintila uma luz fria a imaginar que é uma estrela.
Nas alamedas
Protegidos por papelões e jornais dormem homens desfalecidos. O tempo é estranho e abafado aqui. A cidade transforma-se na noite.
Lisboa
A cidade é sempre demasiado grande. Já não é a minha Lisboa de menino.
Caminho.
Dou por mim a pensar e invade-me um medo que vem de dentro e me afasta de ti.



João 2007
Fotografia de Wilson Antunes

terça-feira, novembro 13, 2007

Queria voltar completo e não consigo...


Queria voltar completo e não consigo ainda me sinto aturdido sôfrego naufrago e o vento sopra mansinho na noite e ontem vi na frente dos olhos uma estrela a cair lentamente como nunca tinha visto nenhuma e já vi muitas mas esta foi especial como a dizer-me adeus e pensei em ti e pedi um desejo daqueles impossíveis de realizar e depois por uns momentos fechei os olhos a ver se te encontrava dentro de mim e estava só mais o barulho do motor cansado das horas puxando o barco a atravessar outra vez a península porque fui à cidade grande em tua busca e tu não estavas nem a norte nem a sul nem a este nem a oeste de mim e assim não sei de que lado fico de ti sem ti aqui.

João 2007
Fotografia de Barcoantigo 2006

sábado, novembro 10, 2007

E o mar aqui...


E o mar aqui, a esta distância, é tão diferente e sem brilho
o teu olhar como um farol na noite a iluminar-me
eu,

depois de o ver uma última vez
Já posso morrer no mar nosso.
Matar a saudade…


João, Barcelona 2007
Foto google
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape