quinta-feira, janeiro 31, 2008

II


- Olha o mar e diz-me o que sentes!
- Olha o mar e diz-me o que vês para alem de nós!
- Olha o mar e deixa que as minhas lágrimas sequem com a nortada fria...

- É tempo de fechar os olhos e o coração amordaçado!
- É tempo demais para amar neste século inacabado!

Quando eu partir os escombros de nós que ficarem são um amontoado de pedras frias sem epitáfio.


João marinheiro 2008
Fotografia de Barcoantigo 2008

terça-feira, janeiro 15, 2008

Daqui...


É tudo tão dolorosamente humano...
Fotografia, Barcoantigo 2008

sexta-feira, janeiro 11, 2008

Por um momento breve


Hoje por entre a chuva e o vento, vislumbrei um arco-íris de braços abertos a espreguiçar-se caindo do céu em arco.

Por uns momentos pensei que eras tu esperando-me num abraço.


Por um momento breve.


Demasiado.


João Marinheiro Janeiro de 2008
Foto, Google

terça-feira, janeiro 01, 2008

Três poemas perdidos ou já não...

Segredo

A timidez pura e bela
Com que teu rosto se espelha
Nas águas o lago límpido
Da imaginação
Leva-me forçosamente a sonhar
No quanto te quero e te amo.

Leça da Palmeira 22/11/82



Infância

O esboço do riso
Que aflora nos teus lábios
Tem ares de misterioso e longínquo
Fazem-me lembrar a infância
Os gritos e brincadeiras felizes
Recorda-me o sorriso inocente das crianças…

Leça da Palmeira 22/11/82



Olhar

Não há vaidade
Na timidez do teu sorrir
Sinto até alegria
Vendo a luz no teu olhar
E o rubor subindo
No teu rosto, de mansinho
Quando teus olhos
Se olham nos meus.


Leça da Palmeira 23/11/82
Page copy protected against web site content infringement by Copyscape