sexta-feira, julho 26, 2013

o teu olhar...



Não me peças que te olhe porque me enamoro perdidamente como um náufrago
O teu olhar duas estrelas brilhantes, dois faróis a rasgar a noite
Redondos, negros, grandes. Como sempre os sonhei e reinventei nos meus escritos.
A tua boca, o contorno dos lábios sequiosos quando te imagino e beijo
Suaves, doces, a puxarem por mim os sentidos.

 A sentir-te

A tremura do corpo a tremura das mãos a tremura das pernas a tremura da respiração ofegante
És tu.
Menina. Mulher. Mãe. Amor. Dádiva. Luz.

O contorno dos seios fortes imaginados sob o vestido

A tua silhueta em contra luz

as costas despidas, o vestido longo provocante

a brisa quente que te esvoaça os cabelos e me roçam a cara

amo-te

amo-te,te,te,te...

e a palavra ecoa em mim como as batidas do coração...


João marinheiro Inéditos 2013

Fotografia da net, autor desconhecido.

domingo, julho 21, 2013

palavras...

 
 
 
 
corro ao computador
na ansia de saber de ti
uma palavra:
bom dia,
um beijo
ola...

é como se me abraçasses
um abraço redondo
espécie de laço na volta do corpo entrelaçado.
fecho os olhos e escuto o teu coração ritmado
acerto o meu pelo teu e somos um
a minha face nos teus cabelos soltos ao vento
brisa quente que nos sufoca a respiração
estremeço
sinto o teu cheio
o teu sabor intimo na boca
excito-me
tu és...
eu sei
ainda não te disse baixinho ao ouvido hoje
amo-te...
 
João marinheiro 19 Julho 2013

fotografia de Eduardo sousa, www.olhares.com

sexta-feira, julho 19, 2013

segredo...

 
 
meu amor do outro lado do mar.
gosto-te
um gostar inexplicável, que faz tremer por dentro de emoção
que faz o coração bater rápido a tentar ultrapassar o peito onde se encerra
um gostar que corta a respiração na ânsia de perpetuar o momento
o contacto dos lábios
a pele
os cabelos
as tuas mãos
o riso
espécie de melodia aos ouvidos
depois, depois o olhar espraia-se em mim e eu perco-me enamoro-me como um adolescente sem jeito
tudo isto és tu em mim
e mais que não consigo dizer por palavras, só sentir...
tão bom murmurar-te ao ouvido baixinho para que ninguém escute
amo-te.
 
João marinheiro  Inéditos  2013
Fotografia de Guganeto www.olhares.com
 

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape